Páginas

Tecnologia do Blogger.

sábado, 1 de dezembro de 2012

A mãe, o curso, a filha e o caos

7 comentários

Sexta-feira, 18:30. A mãe chega em casa do trabalho, apressada, com fome, pensando no curso online que começa às 19h, na filha que deve estar com fome e no marido que não anda bem de saúde e que passou a tarde cuidando da filha, pois a babá foi embora logo após o almoço, como acontece todas as sextas-feiras.

18h35, depois de um abraço gostoso, a mãe ouve do marido que a filha havia acabado de acordar, que tinha mamado às 15h e que devia estar com fome. A mãe corre esquentar a comida que sobrou do almoço: arroz, feijão e panqueca. Sem legumes.  – Me desculpa filha, mas hoje não dá tempo.

Senta a criança na cadeira, tira a comida do microondas – que cheira bem e deixa a mãe com mais fome ainda – oferece pra criança, que come a primeira colherada, faz uma cara de poucos amigos e recusa a segunda.

- Come filha, pelo menos um pouco, você deve estar com fome.
- Não, diz ela sem dizer, fazendo cara de nojo, batendo a mão na colher e espalhando carne moída pela cozinha toda.
- Ok, mamar você quer então? Diz a mãe sem saída, sem tempo e, porque não, sem muita paciência também.

A mãe prepara a mamadeira, leva até a sala, entrega a mamadeira e a filha pro marido. – Toma amor, preciso que você dê a mamadeira porque meu curso já vai começar.

 Já são 18:50

A mãe aproveita o momento de distração da filha, que mama com uma cara de quem diz: Ta bom, né, já que não tem outra opção mesmo (Fidamãe, comer ela não quis, né?), corre pro quarto lá do fundo, onde fica o desktop e se apressa pra atualizar o programa que grava o curso online.

19h. Começa o curso. 19:01. Começa a choradeira da filha lá na sala. – Mãmãmãããããããã!!

A mãe finge que não ouve. – Logo ela para. Ilusão, ela não vai parar.

O curso começa bem, todo mundo se apresenta, a mãe ta concentrada no que o professor fala.
Passam-se alguns minutos e, cansado de ver a filha resmungando sentada no cantinho da porta que dá acesso à cozinha (e ao quarto do fundo), o pai libera a passagem e lá vai a filha, feliz e contente, encontrar a mamãe. Papai se deita na beliche do quarto, liga a televisão e tenta assistir o jogo que passa.

- Olha filha, é o Corinthians! Deita aqui com o papai pra assistir o Corinthians jogar!
- Pffff. Nem pensar, diz a filha sem dizer, apenas virando-se para mexer em alguma coisa que não pode.

E assim caminha a humanidade o curso: uma pergunta ao professor ali, um “tira o dedo da tomada” lá, uma anotação aqui e outro “devolve o mouse da mamãe” acolá.

Passa das 20h. O professor do curso pede uma pausa pra tentar solucionar problemas com a conexão ou sei lá o que que travava a aula a todo instante. A mãe pega a filha, corre pro quarto, troca a fralda e, no meio do caminho, para pra tomar um copo d’água.

Voltamos pro computador. A mãe não resiste aos bracinhos esticados e à cara de gato de botas da filha e a pega no colo, sentando junto com ela na poltrona do computador. 10 segundos mais tarde, depois de um teclado avariado, uma quase-queda da tela do pc e de um frase sem sentido digitada no chat do curso (que felizmente não teve um “enter” no final), a mãe desiste da ideia e devolve a filha pro chão, enquanto o pai tenta, em vão, tirar um cochilo.

Mais alguns minutos se passam, são quase nove horas, o pai desiste de tentar cochilar, de tentar ver o jogo e de tentar manter a filha quieta, pega a cria e parte com ela rumo à sala novamente. Não sem antes dar um aviso, mais a si mesmo do que à filha:
- Eu vou levar você daqui, e se você começar a chorar, vai ficar lá esperneando que eu não vou te trazer de volta! Entendeu?
- A-ham, diz a filha, sem dizer, com um sorriso que a mãe juraria ser sarcástico, se a filha não tivesse apenas 1 ano, dois meses e alguns dias.

A mãe começa a contagem regressiva.
10... A filha sai tagarelando no colo do pai.
9... O pai fecha a porta da cozinha e senta com ela no sofá.
8... O professor do curso (sim, o curso ainda está rolando, teoricamente), volta a aparecer na tela, fala meia frase e some novamente. Todos xingam muito no twitter reclamam no chat.
7... A filha começa a chorar dramaticamente.
6... O pai diz alguma coisa como “pode chorar, daqui você não sai” e segue no sofá fingindo que ignora o “espetáculo”.
5... – Filha, por favor, a mamãe está ocupada e você não pode ficar lá agora. Logo ela volta.
4... – Toma amor, ela não vai  parar de chorar de jeito nenhum, diz o pai, devolvendo a filha ao quarto.
 3... Por decisão da empresa responsável, o curso é cancelado e reagendado para outra data, quando ele deverá funcionar decentemente.
2... – Pronto filha, você venceu. Mamãe não tem mais curso pra fazer.
1... A família segue feliz pra sala e a filha vai rindo e conversando como se nada de anormal tivesse acontecido.

São 21h10. A mãe chaga a conclusão de que bom mesmo é ser criança e esquecer as lágrimas com tamanha facilidade!

Finalmente a mãe tem tempo pra preparar um leite com bolachas e matar, em partes, a fome que já fazia a barriga roncar desde às 17h.

22h. A filha toma mais uma mamadeira, desliga-se a TV e todos vão se deitar, deixando a casa num silêncio difícil de imaginar poucas horas antes.

E é vida que segue...

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Bem feito!

6 comentários

Esqueça as sobrancelhas mal feitas, as unhas mal feitas, o penteado mal feito. Esqueça a faxina mal feita, o trabalho mal feito e o regime mal feito. Esqueça todo o mal feito e lembre-se sempre: o que você poderia fazer de melhor nessa vida, um filho, o SEU filho, você já fez. E não há nada mais bem feito que você possa fazer por ele do que, simplesmente, amá-lo!

*Por uma maternidade com mais beijinhos e abraços e menos neuroses, porque nossos filhos merecem ser felizes e nós também!!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

{Meme} Um pouco de mim

1 comentários
Já viram o Meme que está rolando na blogosfera materna? Funciona assim, alguém formula 11 perguntas com temas variados e escolhe 11 blogueiras para respondê-las. Estas 11 respondem, formulam suas próprias perguntas e escolhem outras 11 pra responder, e assim por diante.

Bom, daí que a Luana, do blog Uma mãe para 2, me escolheu pra participar da brincadeira e eu adorei a ideia. Antes de responder, queria pedir desculpa à Luana pela demora (o convite foi há 10 dias) e dizer que ela me fez quebrar a cabeça pra responder algumas das perguntas, mas foi uma delícia...rs

Vamos lá?

1º  Qual parte de sua casa que mais gosta de ficar?
Adoro meu quarto, mas acho que o lugar em que mais gosto de ficar é a sala, pois é ali que eu parte a maior parte do tempo quando estou em casa e é onde a “casa acontece” depois que a Clara nasceu.

2º E quais as mudanças que teve que fazer por causa das crianças? (em casa)
Nossa, a casa virou uma bagunça! Muita coisa mudou, tivemos que tampar os buracos da estante com almofadas, colocamos um berço/cercado na sala, que depois virou uma cabana para os brinquedos, tiramos as cadeiras da sala de jantar (pq a Clara cismou  em tirar o plástico que fica embaixo delas e fazer a maior sujeira com isso) e agora as portas dos quartos e da cozinha vivem fechadas, pra evitar surpresas e acidentes com a pequena.

3º O que quer fazer com os filhos que ainda não fez?
Viajar pra praia e andar de avião

4º Qual a maior trakinagem que seu filho já fez?
Em apenas 1 ano e dois meses já foram algumas...rs Mas acho que a maior foi subir e sentar no alto do encosto do sofá e depois se jogar de lá de cabeça (sobre o sofá, felizmente).

5º Você se considera uma pessoa estressada?
Muitas vezes, e isso é péssimo, porque acho que acabo descontando nas pessoas que não tem nada a ver com a história. Quando essa pessoa em questão é a filha, pior ainda.

6º Qual foi a primeira palavra de seu pequeno?
Deu branco, mas acho que foi “mamã”

7º O que é mais importante : Aprender a cuidar dos brinquedos ou deixá-los brincar como quiserem correndo o risco de quebrar?
No momento, na idade que ela tem, deixá-la brincar como quiser (e a maioria já está quebrada)

8º Já passou por alguma situação constrangedora?
Várias, e sou a pior pessoa para sair de situações constrangedoras..haha

9º Qual é o seu jeito mãe de ser? Super protetora ou cuca fresca?
Pode ser um pouco das duas? Me preocupo, mas não sou o tipo neurótica, que quer controlar tudo e que não deixa o filho fazer nada por medo.

10º  na sua opinião,por que ler para uma criança é importante?
Porque é dar a oportunidade da criança imaginar, de sonhar e de viajar pra tantos mundos. Além de ser uma ótima forma de fazê-las crescer, de diferentes maneiras.

11º Qual lugar mais inusitado que gostaria de conhecer?
Humm...difícil. Talvez a Patagônia, deve ser incrível.

Beijos,

Mari

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

{Crescendo} 14 meses

3 comentários

Tava aqui pensando no que escrever neste post e cheguei à conclusão que o 14º mês não foi lá de muuuuitos avanços, mas cheio de pequenas coisinhas que só quem convive diariamente com a Clara (mais precisamente eu e o maridón...ah, e a babá) notamos e nos divertimos. Mas vou anotar tudo aqui pra não esquecer no futuro – e pra vocês tentarem imaginar as cenas também..rs

A Clara...

- Conta os dedos do pé – Começamos a contar os dedinhos de brincadeira, pra fazer cócegas no pé dela, e depois de ouvir várias vezes a pequena começou a achar que também podia contar. A diferença é que na língua dela, todos os números são “têêêêêti” ou “têêê” e ela vai apontando e “contando”, quase como quem canta uma canção. Fofurinha

- Belisca as pessoas quando está brava e morde, quando está mais brava ainda. Isso já preocupa a mamãe (que se imagina sendo chamada na escola pra ouvir reclamação sobre o comportamento da filha com os coleguinhas semana sim e outra também! :O)

- A-do-ra puxar os pelinhos da perna do papai e de beliscar a tetinha dele só pra ouvir ele falar “ai”. Morre de rir! (será que por isso ela evoluiu para os beliscões de braveza??)

- Tá comendo menos e tá mais seletiva – não quer saber muito de arroz e feijão e prefere uma carninha. Em compensação, redescobriu a beterraba e agora adooora.

- Esconde o próprio rosto com as mãozinhas quando a gente pergunta “cadê o bebê?”. Às vezes a mão tapa só a orelha e mesmo assim ela acha que está SUPER camuflada.

- Consegue definitivamente subir no sofá sozinha e adora sentar lá, pegar o controle remoto e mudar o canal da televisão, quase sempre colocando em um canal que não existe.

- Aponta para as partes do corpo e pega os objetos corretos quando a gente pede, mostrando que entende quase tudo o que falamos, mas ainda não quer saber de falar.

- A única coisa que gosta de falar – e fala o tempo todo – é o seu “bô” (acabou), que agora não é utilizado apenas neste sentido, mas também quando ela quer qualquer coisa (#comofazbrasil?)

- Continua dançando ao som de qualquer música. Faz o maior sucesso quando sai na rua e para pra dançar quando ouve uma música, que pode ser até de toque de celular.

- Desde que começou a andar, não para mais quieta. Anda de um lado pro outro na casa o dia in-tei-ro e só para no colo lá pelas 10 da noite.

- Adora crianças. Não pode ver um “nenê” (que na ideia dela é qualquer criança com menos de 10 anos) que já vai correndo querendo abraçar e beijar, o que já assuntou algumas criancinhas por aí.

- Virou uma beijoqueira de mão cheia. Distribui selinhos o dia todo, às vezes até sem a gente pedir.

E enquanto isso a mamãe...

- Tá cada dia mais apaixonada pela cria.

- Tá achando cada vez mais difícil não apertar e amassar a pequena com as “fofurices” que eça faz.

- Tá precisando cortar o cabelo.

- Conseguiu mini-férias e vai poder passar 10 dias na casa da família no Natal. Eba!

- Acha que é muito brava às vezes quando dá bronca na filha ou não se rende ao choro  birrento dela.

- Tá morrendo de vontade de ir pra praia, mas não vê previsão disso acontecer nos próximos meses.

- Fica decepcionada consigo mesmo quando não consegue fazer todas as 1001 coisas que gostaria por falta de tempo ou de disposição.

- Anda sempre cansada, mas tenta aproveitar bem o tempo que tem em casa com a filha, afinal, sabe que o tempo não para e nem volta atrás!



Aprontando todas no chá de bebê da dinda

Piscininha salvando nos dias de verão antecipado!



Bjos,

Mari



terça-feira, 13 de novembro de 2012

Quem quer dinheiro?

1 comentários

Hoje eu acordei meio às avessas. Aquele dia em que você questiona tudo e todos, sabe como?

Cheguei a conclusão de que queria ter nascido rica ao invés de inteligente (cof cof).

É sério, sabe aquela piada “queria ser pobre um dia na vida, porque ser pobre todo dia tá difícil”? É mais ou menos por aí.



Antes de mais nada, vamos esclarecer: não sou pobre, pobre de marré deci, não passo fome, nada disso, graças a Deus! Sou grata por tudo o que eu tenho e sou consciente de que tenho uma vida ótima comparada a de muitas outras pessoas por aí. Mas ter mais dinheiro no final do mês, e não o inverso, seria ótimo!

Por exemplo, escrevo este post durante meu horário de almoço do trabalho, e isso me mata. Me mata porque gostaria de ter mais tempo para mim, para o blog, para a família e pra fazer coisas que me deixam feliz. Mas não dá, não posso, tenho que trabalhar o dia todo e me contentar com os intervalos para fazer todo o restante.

Aí você pensa: mas tem muita gente que vive assim. E aí eu te respondo: é verdade, por isso eu dou a elas o direito supremo de acordar às avessas também de vez em quando!

Não é fácil, gente. Não é fácil querer viajar pra um lugar maravilhoso e não poder, querer andar minimamente na moda e não conseguir (e olha que eu sou fã das lojas de fast-fashion e não tenho problema nenhum em usar roupas da Marisa, hein?).

É difícil pensar que você está perdendo boa (e talvez a melhor) parte da infância do seu primeiro filho, enquanto se desdobra pra dar conta de satisfazer seu lado profissional, pessoal, sentimental e mental . Aliás, isso é difícil pra cacete!

E é num dia como este que eu concordo com quem diz que dinheiro não traz felicidade, mas manda buscar. É verdade, é fato, precisamos aceitar. Dinheiro é muito legal, é ótimo, é maravilindo quando você o tem e sabe aproveitá-lo bem.

Quem não queria uma casa linda no campo, outra na praia e uma na cidade, com um belo jardim pra chamar de seu? Quem não gostaria de viajar pra todos os cantos e conhecer o mundo todo, de preferência em ótima companhia? Quem não gostaria de não ter que escolher entre uma coisa ou outra e levar logo as duas?

Se você não, me desculpa, mas eu adoraria! Adoraria passar a tarde no shopping, comprando um guarda roupas inteiro novo, mesmo que quem me visse de longe me achasse uma perua, louca e consumista. Adoraria levar a Clara pra conhecer a Disney e me acabar de tanta diversão junto com ela. Adoraria poder passar mais tempo com a minha família, que mora longe e a quem eu vejo tão pouco também por questões financeiras. Adoraria passar algumas tardes de pernas pro ar, só curtindo as pessoas que eu mais gosto.

Adoraria tudo isso e muito mais que o dinheiro pode proporcionar, mesmo sabendo que ele não é tudo e que não pode comprar o que é mais importante: saúde e paz de espírito. E enquanto nada disso acontece (um dia, será?), só me resta ficar aqui, imaginando e levando a vida que eu posso ter.



PS: Ok, isso foi só um desabafo, ignorem tudo o que eu falei  e que nada tem a ver com o tema deste blog. Amanhã eu volto com o post de quem acorda pensando que “a felicidade está mesmo nas coisas mais simples”.
E não está mesmo?

sábado, 27 de outubro de 2012

Poema da menina arteira

6 comentários

“Desde bem pequenininha
Sempre fui muito sapeca
Gosto de fazer minha dancinha
E pulo feito uma perereca

Ontem durante a noite
Tropecei e caí no chão
Cortei em dois lugares a boca
Deve ser culpa do meu dentão!

Mamãe diz que não paro quieta
Que devia andar mais devagar
Afinal, eu adoro correr
Sendo que eu mal aprendi a andar

Sabe, eu andei pensando:
Mamãe deve estar mesmo certa
Pois foi assim, correndo e tropeçando
Que hoje ganhei mais um galo na testa!”


E assim, nós vamos... Quem mandou ter uma criaturinha impossível dentro de casa?

PS: Nos dois incidentes das últimas 24 horas teve chororô por alguns segundos, colinho da mamãe e pronto, o susto (das duas) já tinha passado. Só ficaram os inevitáveis hematomas


segunda-feira, 22 de outubro de 2012

{Crescendo} 13 meses

4 comentários

Gente, com a correria que foi por conta do aniversário da Clara e o meu cansaço pós-festa, acabei esquecendo de colocar aqui os marcos do desenvolvimento dela com 1 ano. Então agora resolvi juntar nestes post o que de mais importante aconteceu nestes últimos dois meses.

A Clara:

- Aprendeu a andar e, como eu já imaginava, não para mais quieta em um lugar de forma alguma;
- Tem 4 dentes, o mais recente, embaixo, apontou faz poucos dias e parece que está meio tortinho, é esperar pra ver;
- Não quer saber de falar muita coisa, embora entenda quase tudo o que a gente fale com ela;
- Caiu dois tombos em dois dias seguidos, cortando a boca e deixando a mamãe um pouco assustada;
- Aponta tudo o que quer com o dedo;
- Fala “bô” (acabou) o tempo inteiro, pra tudo;
- Adora comer bolachinha doce com leite, e agora já é capaz de morder e comer com as próprias mãos os alimentos mais sólidos;
- Continua comendo super bem com a babá, mas quando a mamãe é quem vai dar, come só um pouco e já não quer mais;
- Ama dançar e a qualquer sinal de música já corre dar uma reboladinha e descer até o chão (papai diz que ela vai dar trabalho!);
- Aprendeu (não sei com quem) a fazer birra. Basta ser contrariada ou receber um “não” quando quer muito alguma coisa e ela se joga, enfia a cabeça no chão e finge que chora;
- Faz “hummm” toda vez que vê alguém comendo perto dela – é o jeito dela de dizer que também quer;
- Não gosta de bonecas, pelo menos por enquanto. Só pega o “nenê” pra bater na parede ou jogar no chão;
- E por falar em jogar no chão, tem prazer em atirar longe quase tudo o que pega na mão, em especial em locais onde não tem tapete e o barulho é maior;
- Grita de alegria quando ouve o barulho da chave abrindo a porta e corre pra abraçar a mamãe quando ela chega do trabalho;
- Aprendeu a dar beijinho na mamãe e no papai. Quando pedimos (e as vezes espontaneamente também), ela vem, encosta a boca no rosto da gente e dá um selinho, uma delícia!;
- Está a cada dia mais malandra, tem um sorriso pra cada tipo de arte que fez ou pretende fazer, a fim de não levar bronca;

A mamãe:

- Surpreende-se todo dia com a evolução e os novos aprendizados da pequena;
- Morre de amores toda vez que é recepcionada pela filha quando chega do trabalho;
- Tem pensado muito sobre a educação de um filho e sobre como impor limites da maneira correta;
- Está tentando achar um equilíbrio entre a necessidade de dizer não para a filha e a necessidade da filha de descobrir o mundo;
- Tenta se segurar para não rir quando dá uma bronca na filha e ela responde com um sorriso malandro e conquistador;
- Tem cada vez mais certeza de nasceu pra ser mãe e que, apesar das falhas, essa é a função que ela desempenha melhor na vida;

Fazendo a festa com as crianças da creche

Passeando na casa da vovó e do vovô em Sapopema

terça-feira, 16 de outubro de 2012

O bebê que anda e a casa de pernas pro ar

2 comentários
Faz dias que não posto nada aqui, né? Vou confessar, além da falta de tempo habitual, ando sem muito inspiração. Na verdade, todo dia penso em escrever sobre algo, mas aí acho que aquele assunto é sem graça demais pra virar um post e aí acabo não colocando nada.

Então, já que ando sem ideias, fiquem com o vídeo que eu fiz pra mostrar pra minha família que está longe e que ainda não viu a Clara andando pessoalmente. Mas antes, devo alertá-los que o material contém imagens fortes para pessoas com TOC, maníacas por arrumação ou coisas do gênero.

Se você se enquadra em algum destes perfis e mesmo assim quiser assistir, só finja que não vê a casa com-ple-ta-men-te bagunçada, a fita crepe que cerca o armário de fora a fora, os brinquedos espalhados por todos os cantos, o berço que virou cabana (ei, essa parte é muito legal, a Clara adora sua "casinha"), a cadeira deitada no chão que serve de grade pra criança não ir fuçar na cozinha e, em especial, a obediência da criança aos pedidos da mãe (só que não).



Beijos,

Mari

domingo, 30 de setembro de 2012

{A Festa} O grande dia

3 comentários

Prometi, demorei mas vamos falar sobre o dia da festa de 1 aninho da Clara.

Depois de toda aquela tensão e trabalheira relatadas aqui e aqui, chegou o grande dia. Marquei a festa para um sábado a tarde, às 15h30. Fomos dormir as 2 da manhã na sexta e ás 7 da matina já estávamos de pé (no “nós” inclui-se a aniversariante também).  Com 15 pessoas da família chegando do interior de São Paulo e tendo que dar conta dos últimos detalhes, como terminar alguns docinhos que a gente mesmo fez e levar a bebida pra gelar, dá pra imaginar a correria que foi, né?

Fui logo cedo pro salão onde seria a festa, pra abrir e acompanhar o começo da montagem da decoração e tudo mais. Na verdade a intenção era voltar lá depois do almoço pra ver estava tudo ok, mas acabou que não deu tempo (e algumas coisas saíram erradas, mas enfim..). Depois de levar a família pra chácara que a gente alugou, afinal, não caberia todo mundo no nosso apartamento, voltamos pra casa, dei almoço pra Clara e ela dormiu. Aproveitei pra ir tomar banho e me trocar, enquanto o marido cuidava das últimas coisas lá no salão.

Acordei a Clara em cima da hora pra terminar de trocá-la, foi uma correria que só e no fim, acabamos chegando meia hora atrasados na festa. Por sorte a dinda conseguiu chegar antes e recepcionou os primeiros convidados que chegaram antes da gente.

Por ter sido acordada antes do que gostaria, a Clara estava meio enjoadinha no início. Mas foi só chegar e perceber que era o centro de todas as atenções, que ela se animou...rs. Os convidados foram chegando e eu tentando me desdobrar pra dar atenção e conversar um pouquinho com cada um.

Gente, esse negócio de ser “anfitriã” é engraçado, né. Depois, pensando, nem vi como se passaram as 4 horas de festa e tenho a impressão de que não conversei direito com ninguém. A Clara foi de colo em colo, deu muita risada, fez seu clássico bico várias vezes e se divertiu. Pouco depois das 18h, começou a ficar com soninho e aí foi a hora do “parabéns pra você”.

Olha aí como ela ficou encantada com a vela e com todo mundo cantando pra ela:




Depois disso, parece que ela despertou novamente. Botamos uma roupinha bem confortável e ela foi engatinhar pelo salão todo. Abrimos os presentes e a cada brinquedo novo, ela mudava sua “preferência”.
No fim, estávamos exaustos, mas muito felizes. Como disse, nem vi o tempo passar, mas pude ver a alegria da Clara e da minha família que a ama de paixão e que acaba convivendo pouco com ela. Foi uma ótima oportunidade de reunir pessoas muito especiais que fizeram parte deste primeiro ano da vida dela.

Enfim, foi muuito trabalhoso e cansativo, mas faria tudo de novo (tentando corrigir alguns probleminhas, é verdade..rs). Agora chega de falar, vamos às fotos:






1!


Minha família






Bjos,

Mari

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

{A Festa} Os preparativos parte II - os últimos detalhes

1 comentários
Demorou, mas eu consegui parar um pouco pra falar sobre a festa de 1 ano da Clara, que rolou no último dia 15.

Bom, quem convive mais comigo sabe que eu estava beeem estressada com os preparativos. Fui inventando as coisas, detalhe daqui, detalhe dali e quase fiquei doida no final das contas. De verdade, deu mais trabalho do que eu imaginava, provavelmente pela falta de tempo (trabalhar o dia todo e organizar uma festa não é uma grande ideia, viu gente?).

Como tinha comentado, contratei uma empresa pra fazer a decoração e uma outra pra servir a comida, mas eu mesma, com a ajuda preciosa do marido e de algumas amigas super especiais, quis cuidar de todos os outros detalhes. E aí inclui-se:

Os centros de mesa
Foi assim, estava procurando uma ideia que fosse barata e que criasse um efeito legal. Pensei em árvores de jujuba ou algo assim, mas aí numa das minhas infinitas pesquisas na internet me deparei com esse passo-a-passo de uma topiaria feita de flores de papel crepom e achei super bonita. Num outro vídeo, a mulher fazia uma florzinha em poucos segundos então pensei: "moleza". Grande engano, foi o maior trabalho do séééculo!!!! De fato a gente faz uma flor em menos de 1 minuto, o problema é que a gente precisou de umas mil (sim, mil mesmo, não é figura de linguagem) pra fazer os 15 cachepôs que enfeitariam as mesas. isso porque a gente decidiu reduzir o que seriam uma bola inteira de isopor, por meia bola em cada mesa. No final ficou bem legal, mas não sei se faria de novo se pudesse voltar atrás, foi uma semana inteirinha fazendo flor de papel todas as noites e, se não fosse a grande ajuda de mais 3 pessoas, nunca teria terminado a tempo.



As marmitas e corujinhas de papel
As primeiras foram mamão com açúcar, só comprar as marmitas, um tecido bem bonito, recortar e colar o tecido na tampa. Dentro haviam docinhos e pirulito. Pra dar um charme, passei uma fitinha e coloquei a tag de agradecimento antes de dar um laço pra fechar. Fizemos todas na véspera do aniversário (até as 2 da manhã, mas tudo bem).
Já as corujas foram um trabalho que começou uns 3 meses atrás, quando eu e a Carol, dinda da Clara, pegamos a ideia na internet e começamos a botar a mão na massa. Fui montando aos pouquinhos e terminei de fazer uns 3 dias antes do aniversário. Coloquei dentro um saquinho com balas, pirulitos, chiclete, etc. Todo mundo adorou.


Tubetes e tacinhas para doce
Bom, neste caso foi só criar uma arte bem bonitinha para os adesivos (que seriam redondos mas tiveram que ser quadrados na última hora) e colar. Nos tubetes colocamos jujubas em alguns e MMs em outros. Na base, demos um lacinho com fita de cetim. Também não deu trabalho quase e o efeito na mesa é bem legal. Para as tacinhas fizemos mousse de limão e de maracujá, aos 45 do segundo tempo.


Fora isso, o trabalho e correria foi pra dar conta de outros "detalhes" da festa, com alugar as toalhas da mesa, comprar e levar as bebidas no dia, que não estavam inclusas no buffet, providenciar o bolo, que comprei em uma promoção de compra coletiva e saiu bem mais barato do que se tivesse pego com o buffet,  encomendar o topo do bolo, que tinha uma vela e uma coruja super fofinha, as corujas de tecido que também foram lembrancinha e outras tantas coisas que nem lembro mais.

Bom, sobre a festa propriamente dita eu conto no próximo post, porque esse aqui já ta ficando longo demais.

Bjos,

Mari

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Temos dente(s)!! Ou quase...

1 comentários


Foi só a mamãe reclamar falar há uns dias aqui da ausência total de dentes na boquinha da filha de quase (na época) um ano, que eles resolveram aparecer. E vieram logo em bando!

Não é que a Rose, a babá que cuida da Clara, descobriu que vem três dentes por aí? Dois em cima, já bem proeminentes, quase rompendo a gengiva, e um embaixo, mais discreto.

Fiquei feliz, não posso negar. Agora fico pedindo toda hora pra ver o dentinho e a Clara, como se percebesse a minha alegria, mostra a gengiva, aproxima o rosto do meu e depois morre de rir, quase sempre.

E se antes ela não deixava colocar nada na boca, agora encontrei uma dedeira com uma escovinha macia na ponta que ela adora ficar mordendo enquanto a gente limpa a gengiva depois das refeições. Até engraçado de ver.

O bom é que, até agora, ela não teve nenhuma reação aos primeiros dentinhos: nem febre, nem diarréia, nem mesmo o incômodo que havia servido de “alarme falso” em outras ocasiões. Espero que continue assim!

Tá bom, não dá pra ver, mas eu juro que os dentinhos estão ali!


Em tempo: Claruxa está andando cada vez mais, quando está animada não quer mais saber de engatinhar, só de levantar e andar como gente grande. Gente grande e meio zureta, é verdade, com aquele típico andar de pato, sabe como? Mas é uma delícia vê-la se tornar independente, apesar dos sustos que a gente toma a cada tombo.

Beijos,

Mari

UPDATE 24/09: Clara teve febre todo o final de semana, variando entre 38 e 39 graus e chegando a 39,5º durante a madrugada de sábado para domingo, quando acordou com diarréia. Estou controlando a febre com remédio e, apesar de estar mais enjoadinha e só querer colo quando ela volta, a Clara está animadinha e se alimentando, o que já é um bom sinal, né. Por enquanto não achei necessário levá-la a pediatra, tudo leva a crer que ela está assim por causa dos dentes mesmo, mas se a febre não passar até hoje, amanhã já ligo lá pra marcar. Vamos aguardar...

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Um ano de muita luz!

12 comentários



Há um ano eu jurava que tinha conhecido o melhor do amor (lembra?). Doce engano. O melhor do amor eu conheço a cada dia que passa, e a cada dia mais e mais.

Hoje a Clara completa um ano. Hoje eu completo um ano como mãe, a função que eu descobri mais gostar de exercer neste mundo. 

Ela cresceu muito, triplicou seu peso, enquanto meu amor por ela se multiplicava proporcionalmente. Passou por transformações incríveis e maravilhosas, aprendeu muita coisa, mas nos ensinou muito também. Nestes últimos 365 dias eu finalmente me dei conta de que a vida passa depressa demais e que a gente tem que aproveitar cada segundinho pra tentar ser feliz e fazer quem a gente ama feliz.

Tivemos a “sorte” (assim mesmo, entre aspas, porque não sei se posso resumir a isso) de ter uma criança abençoada em casa. Saudável, alegre, esperta. E somente por isso já teria motivos de sobra pra comemorar esse primeiro aniversário.

Mas vou além. Comemoro esse aniversário também porque hoje, graças a ela, busco ser uma pessoa melhor, alguém que saiba o valor da vida e das pessoas e que tenha consciência das suas imperfeições e das minhas próprias. 

Comemoro porque a vinda da Clara trouxe ainda pra mais perto as pessoas que a gente mais ama, porque ela é capaz de alegrar não só a minha vida, mas a vida de tantos outros pelo simples fato de existir (e de sorrir, de fazer careta, de fazer bico, de dançar o “tchu tcha tcha”...).

Comemoro esse aniversário porque, como diz o significado do seu nome, ela trouxe luz pra minha vida. E eu sou grata a Deus por esse presente maravilhoso que ele mandou pra gente cuidar e amar.

Feliz Aniversário minha filha! Que o papai do céu continue iluminando seus passos, pra que você possa continuar iluminando os nossos dias.

A gente te ama!


segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Olha quem está andando!!

10 comentários
Clara vem ensaiando uns passos faz mais de um mês. Sempre tentamos incentivá-la, alguns dias ela parece mais bem disposta a tentar e em outros ela não quer nem arriscar sair do lugar de pé.



Mas percebemos que ela tem evoluído bastante nos últimos dias, tem ficado confiante e se arriscado muito mais.

Até que ontem, um dia depois da festinha do primeiro aniversário (que de fato ela só comemora na próxima quarta-feira), aconteceu isso aí  ó:

video


Ela resolveu pegar uns chinelos que davam sopa por ali, levantar e sair andando por conta própria, por um loooongo trajeto de mais ou menos uns 4 metros, para alegria e vibração geral da nação. Quer dizer, da mamãe, do papai, da dinda Carol e da tia Pithi, únicos a ver essa proeza "ao vivo". Eu só consegui filmar a reta final da caminhada, mas já dá pra ter um gostinho dessa gostosura andante né. Aliás, quem assitir ao vídeo com som, desculpem-nos pela "narração"" ao fundo...haha

Fiquei surpresa e suuuper feliz. Porque foi espontâneo, foi sem pressão nenhuma e foi lindo e divertido de se ver.

Será que agora ela se anima mais a andar pra valer? Vamos aguardar as cenas dos próximos capítulos, porque eles prometem fooortes emoções!! :=)

Beijos

Aah, e sobre a festa, eu conto tudo aqui nos próximos dias. Só posso dizer que estou exausta, deu mto mais trabalho do que imaginava, mas no fim valeu à pena todo o esforço.


quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Meus dentes continuam os mesmos, mas os meus cabelos...

7 comentários

Clara finalmente tem um cabelo pra chamar de seu! A menina que nasceu com pouquíssimo cabelo e logo depois ficou careca de vez, há alguns meses viu nascer uma penugem na cabeça, que foi crescendo, ficando loira, crescendo, ficando loira e, agora sim, pode ser chamada de cabelo!

E ela adora! Descobriu que é uma delícia ficar esfregando e enrolando os dedinhos no cabelo, especialmente quando bate o soninho e o dedão da outra mão vai parar na boca. E por conta dessa nova mania, nunca mais conseguimos manter um penteado decente ali naquele cucuruco.

O que se deve também ao fato de que o cabelo começa a demonstrar uma tendência aos cachos (ou à revolta mesmo, talvez). Na parte de trás da cabeça, ele vira as pontas pra fora, dependendo do dia forma um pseudo-cacho mesmo, que só não é cacho de verdade porque falta comprimento.

Comprei até umas presilhinhas, daquelas com mini bico-de-pato – coisa que só uma mulher, mãe de uma menina, irá saber o que é. Mas pela falta de volume de fios, ainda é difícil ele parar no lugar e servir ao que realmente se destina: prender o cabelo.

Mas enfim, um dia a gente chega lá.

E a esta altura, você deve estar se perguntando: “onde entram os dentes nessa história?”

Bom... é que até agora, às vésperas da Clara completar um ano, sua gengiva continua intacta, do jeitinho que era quando ela nasceu. Nada de dente, nada de SINAL de dente. E apesar da pediatra dizer que isso é ótimo, que ela tem sorte porque quanto mais demorar pra sair melhor, mãe que é mãe tem sempre uma pulga atrás da orelha, né?

Já teve vezes de termos certeza que o dentinho ia apontar, tamanha a “babação” ou irritação dela, mas os possíveis sintomas passavam e nada do dente aparecer. Continuo olhando todo dia, mas de verdade não há nada de anormal na gengiva, o que me faz crer que não teremos novidades nos próximos dias.

A pediatra disse que podemos esperar até ela completar 1 ano, depois de disso, se não surgir nenhum dentinho, é bom procurarmos um odontopediatra, pra ele avaliar melhor e, se for o caso, pedir uma radiografia da boca pra checar se os dentes estão lá escondidos. Não entendi direito, mas parece que algumas crianças não têm os dentes de leite formados na gengiva e aí, sinceramente, não sei o que é preciso fazer. Só espero que este não seja o nosso caso.

Enquanto isso, só uma coisa parece ser certa: teremos uma aniversariante loira e banguela na semana que vem!

Uma gengiva intacta e uma franja quase chegando no olho

domingo, 19 de agosto de 2012

{Crescendo} 11 meses

4 comentários
Antes de mais nada, alguém sabe onde se compra, se aluga ou se empresta tempo?? Gente, tá impossível fazer tudo com dias de apenas 24 horas. Muito trabalho no trabalho, em casa e uma boa dose de neurose preocupação por conta dos preparativos do aniversário. Por conta disso, a disposição e o tempo pra me dedicar ao blog (coisa que adoro, aliás) estão meio escassos, infelizmente.

Mas enfim, cá estou eu, depois de um domingo movimentado, pra falar sobre mais um mesversário e tudo o que chegou junto com ele.

A Clara

- Tá cheia de novas expressões e caretas: ora assustada, com o olho arregalado e pescoço esticado, ora rindo com o olho fechado, ora fazendo bico e ora blasê, como se não estivesse nem aí.
- Fica bastante tempo em pé sem apoio. Agaixa e levanta também sem apoiar em nada.
- Come tudo quanto é tranqueira que encontra. Não tem preconceitos quanto a isso.
- Se arrisca a dar uns passinhos quando a gente chama, mas geralmente se desequilibra antes de chegar no destino final.
- Aprendeu (ontem) a subir na poltrona se apoiando no sofá (tem videozinho no final do post) e a passar da poltrona para o sofá. MEDO!
- Tem pés e mãos de lagartixa: tudo gruda ali e ela escala tudo com uma agilidade incrível.
- Fica brava quando leva uma bronca ou ouve um "não". Às vezes dá de dedo, falando e devolvendo a bronca (o que fazer pra parar com isso?).
- Voltou a dormir sozinha, no berço. Às vezes faz um pouco de bagunça ou choraminga antes, mas em menos de 2 minutos deita e dorme.
- Continua dormindo a noite toda direto e bateu o recorde de sono consecutivo em uma noite: 14 horas!
- Grita. Grita muito, seja de alegria, seja pra chamar a atenção e, às vezes, pra espantar o tédio (a única razão possível em certos casos).
- Volta encardida toda vez que sai pra passear. Algumas roupas estão ficando inutilizáveis.
- Ta mais cabeludinha, e o cabelo ta ficando revoltado enrolado, principalmente atrás.
- Aprendeu a fazer 1 com o dedinho quando a gente pergunta quantos anos ela vai fazer ou quando cantamos a música da Mariana (da Galinha Pintadinha pra quem não tem filho conhece).
- Vira a palma da mão pra cima e diz "bô" (acabou) pra tudo: quando derruba algo, quando a novela acaba, quando tiramos alguma coisa de perto dela, e por aí vai.
- Interage cada vez mais e nitidamente entende muito do que a gente fala pra ela - e perto dela.

A mamãe aqui:

- Tá sem tempo PRA NADA! (tá, isso eu já falei lá no começo) Fez uma lista de tudo o que tem que providenciar e nunca consegue zerá-la.
- Tem pesadelo dia sim, dia não, por conta da festa de aniversário: um dia sonha que não aparece ninguém, um dia sonha que a decoração ficou péssima, um dia sonha que esqueceu da data e que não tem nada pronto. Tá f*da mesmo.
- Tem certeza de que já teve uma barriga melhor depois do parto. Parece que ela regrediu - ou progrediu, se é que vocês me entendem.
- Desencanou de manter a casa "bonita". Agora aceita que ela seja apenas "certificada para crianças".
- Anda cansada pra-ca-ram-ba, mas tenta não deixar de brincar e de curtir os momentos que tem com a filha.

Encardindo a roupa, seu esporte preferido no momento

Quanto anos a Clara vai fazer?"

Agaixamento

"Bô!"



"Não pode subir aí Clara?" A-HAM!

domingo, 12 de agosto de 2012

Blogagem Coletiva - O pai que ele é

4 comentários

O pai que ele é...é o pai que quase pirou quando soube que teria um filho, mas que, antes mesmo de mim, vestiu a camisa da paternidade. É o pai que foi em todas (sim, to-das) as consultas do pré-natal e que se emocionava a cada ultrassom.
O pai que ele é é do tipo que nunca tinha pego uma criança no colo na vida e que ficou todo desajeitado quando a enfermeira "jogou" (segundo seu próprio relato) a filha no colo dele no dia em que ela nasceu.

Ele é o pai que deu banho e trocou fraldas desde o primeiro dia, o pai que cuidou do umbigo até ele cair (porque a mãe tinha um pouco de agonia) e que provou que não é preciso ter curso pra saber cuidar de uma criança.

É o pai que ficava acordado cuidando da cria de madrugada pra mamãe dela conseguir dormir um pouco, que aprendeu a ninar, a fazer parar o choro e a cólica.

O pai que ele é se derrete todo a cada sorriso da filha, morre de rir das suas gracinhas e fica todo todo quando alguém enche a bola dela. Ele é o pai que vai a todas as consultas da pediatra, a todas as vacinas e que ficou com peso na consciência quando a filha caiu e cortou a boca quando estava sob os seus cuidados.

O pai que ele é nem sabia que levaria tanto jeito assim. Surpreendeu a todos e a si mesmo, porque, devo dizer, é o melhor pai que a Clara poderia ter.

*Este post faz parte da Blogagem Coletiva proposta pela Rede Mulher e Mãe para o Dia dos Pais 2012. Clique aqui e leia outras histórias participantes! 

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Óun. Ou não!

4 comentários
Gostaria de saber quem é o ser sobrenatural que fica ensinando as criancinhas a agirem como o mais espertinho dos adultos! Queria descobrir NAONDI elas aprendem a fazer manha, a fazer bico (como mostrei ontem) e a chorar como se não houvesse amanhã só porque recebem um não.

E, principalmente, com quem elas aprendem a fazer essa cara de lindeza da mãe Gato de Botas pra conseguirem o que querem. 


Qualquer semelhança não é mera coincidência!


E aí eu lhe pergunto, minha amiga, quimãequiresiste?

domingo, 29 de julho de 2012

Bico...

6 comentários
...teu nome é BIRRA!


A cara que uma mãe recebe toda vez que ousa contrariar a vontade da filha! Pode isso, Arnaldo??


quinta-feira, 26 de julho de 2012

{Eu Indico} Lojas Virtuais de produtos para crianças - Parte II

13 comentários



Continuando a falar sobre compras na internet de produtos para os pimpolhos, vamos a alguns clubes de compras e site coletivos.

Recentemente, descobri dois sites especializados em produtos infantis que funcionam mais ou menos como um clube, onde os associados cadastrados têm acesso a promoções exclusivas de várias marcas (tipo o Brandsclub). Um é o Varal da Mamãe e o outro o Dinda. O Dinda, pelo que eu tenho percebido, faz parte da mesma empresa que comanda o Baby.com.br.

No Varal da Mamãe eu ainda não fiz nenhuma compra, mas o site parece ser confiável e está até de cara nova a partir de hoje. No Dinda eu fiz minha primeira compra ontem – aproveitando uma campanha da Mariá Bebê com um vestido mais lindo que o outro já garanti um modelito pro aniversário dela e outro pra um casamento que temos em outubro.  Espero que chegue direitinho.

E na onda das compras coletivas, outro site bem legal é o Bebê Boom. Lá é possível encontrar de tudo: desde decoração de festa infantil até lembrancinha de maternidade e enxoval. Já comprei duas ofertas pra festa da Clara e no momento estou negociando a entrega com os vendedores. Os preços são ótimos, vale à pena também.

Por último, mas não menos importante, está o desespero das pessoas gastadeiras, mais conhecido como Ebay. Uma espécie de Mercado Livre, o site reúne milhares de vendedores dos Estados Unidos e de outras partes do mundo, oferendo deumtudo! Passei uns meses viciadas em compras ali e só agora estou dando uma maneirada. Como já contei aqui, foi no Ebay que comprei as mamadeiras e a bombinha de tirar leite da Tommee Tippee. Foi um ótimo investimento, o preço é muuuito mais barato que no Brasil. Também já comprei roupas e sapatos pra Clara (alguns da Carters e outros da China – não me arrependo), Canguru, Sling e até um touquinha fofa de coruja feita de crochê que paguei incríveis $2! Da China, claro!

Enfim, no Ebay tem muita coisa mesmo, mas é preciso saber pesquisar bem, ver as qualificações do vendedores (avaliadas pelas estrelinhas ao lado do nome deles e dos depoimentos deixados por quem já comprou antes) e prestar bem atenção aos valores do frete. Ainda existe aquele risco de ser taxado pela alfândega aqui no Brasil. Pela lei, qualquer produto entre $50 e $500, se não me engano, pode ser taxado em até 60% do valor do produto (incluído o frete).  Eu tive sorte até hoje, não fui taxada nenhuma vez, mas é preciso considerar este risco antes de comprar.

Ufa. O post ficou longo (isso que nem falei dos bazares e lojinhas do Facebook, que também têm coisas ótimas, aliás), mas espero que tenha ajudado quem estiver procurando por produtos para criança na internet. Qualquer dúvida, me perguntem aí nos comentários que, se eu souber, eu respondo.

Bjos,

Mari



quarta-feira, 25 de julho de 2012

{Eu indico} Lojas virtuais de produtos para crianças

2 comentários



Nos últimos dias, três ou quatro amigas me perguntaram em quais sites eu costumo comprar as coisas da Clara. Então resolvi escrever sobre isso aqui no blog, quem sabe posso ajudar outras pessoas também. Como o post ficou muito grande, vou dividí-lo em duas partes e posto a segunda amanhã.

Quem me conhece um pouquinho sabe que eu me tornei uma viciada em compras virtuais, o que me rende alguma experiência no assunto. Na verdade, já tive fases piores, mas no momento estou tentando me controlar.

Mas gente, tem MUITA coisa fofinha, lindinha e com preços tentadores na internet. Por isso, se puder dar uma dica inicial pra quem vai começar a se aventurar por este mundo do e-commerce é: prepare-se para pesquisar. Como nas lojas físicas, as lojas virtuais podem oferecer os mesmos produtos por preços beeeem diferentes uma das outras.

Bom, falando especificamente de produtos para bebês e crianças, tenho meus sites favoritos. Para roupas (em alguns casos elas disponibilizam brinquedos, acessórios, etc), eu gosto muito dos sites Privalia e Brandsclub. Lá, vira e mexe eles lançam campanhas de marcas nacionais e importadas bem bacanas com 60%, 70%, 80% de desconto ou até mais.

Antes mesmo da Clara nascer, eu andei fazendo umas comprinhas nestes sites e não me arrependo. Entre as marcas que já comprei (e que recomendo) estão a Milon, Boca Grande, Márcia Barbieri e Luka Puka. Os preços realmente compensam bastante, mas tem um porém: não se pode ter pressa. Como eles mesmos alertam durante as campanhas, o tempo médio pra entrega dos pedidos, salvo raras exceções, é de 30 dias. Então, se você tiver urgência, melhor garantir a comprinha em outro site. (Dica extra: tem campanha da BabyGo e da ZigMundo rolando HOJE no Brands 


Em geral, o e-commerce no Brasil evolui bastante nos últimos anos e a maioria das lojas costuma entregar os pedidos em um prazo curto, entre 2 e 4 dias úteis (dependendo de onde você mora, claro).
Estas são algumas outras lojas virtuais em que eu já comprei – seguidas das minhas experiências pessoais e observações com relação a elas.

Baby.com.br – A primeira experiência não foi das melhores, em partes por falha minha mesmo. Errei ao informar o número do meu prédio, eles entregaram super rápido mas, devido ao erro de endereço, o produto voltou pro depósito deles e depois demorou pra caramba pra eu conseguir recebê-lo de volta. Mesmo assim, fiz uma segunda compra depois (Um carrinho com ÓTIMO preço) e chegou direitinho, no prazo, sem problema algum. Sendo assim, ainda recomendo.

Submarino – Também fiz duas compras, de livros infantis e da Cadeirinha de Balanço da Clara. Nas duas ocasiões, os produtos estavam em promoção e com um preço ótimo. A entrega foi SUPER rápida.

Extra – Foi onde comprei a Cadeira de Refeição. Na ocasião, pesquisei bastante, e foi onde encontrei pelo menor preço. A entrega demorou um pouco mais (acho que uns 6 ou 7 dias), mas foi dentro do prazo prometido na hora da compra.

LojasMM – Comprei lá o Bebê Conforto. Eles não tinham na loja física, na época. Mas a entrega pelo site também foi dentro do prazo e, com certeza, saiu bem mais barato do que comprar em outras lojas físicas aqui de Londrina (eu já tinha pesquisado bastante também).

Como dá pra ver, a maioria das grandes redes varejistas possuem uma ampla linha de produtos para o público infantil. Por isso que pesquisar é tão importante. Uma boa maneira de comparar os preços, é usar os sites com serviços gratuitos de pesquisa, tipo o Buscapé

Lá você coloca o produto que quer comprar e ele mostra o valor dele em todas (ou quase todas) as lojas virtuais onde ele pode ser encontrado. Mole mole, né? Fora isso tem o velho e bom Google, que permite encontrar qualquer coisa a qualquer hora.

Amanhã tem mais algumas dicas ;)

Bjos

Mari

segunda-feira, 23 de julho de 2012

{A Festa} Os preparativos - Parte I

5 comentários

Gente, tem coisa mais gostosa e mais enlouquecedora do que organizar a festa do primeiro aniversário do filho? Como já comentei com algumas pessoas, este é um assunto que rende muito na blogosfera, então hoje inicio uma nova série aqui no Caderninho: {A Festa}.

Preciso confessar que estou sofrendo da TPA (Tensão pré-aniversário) há pelo menos uns 4 meses.
Assim, eu olhei muita coisa, pesquisei muuuuuuuita coisa (santo Google!), decidi e “desdecidi” muita coisa e, finalmente, AGORA comecei a tomar decisões práticas pra coisa sair do campo das ideias e entrar no campo do “isso é possível e isso não é”.

Desde o início queria muito fazer o máximo de coisas eu mesma – com a ajuda de algumas pessoas também, claro. Cheguei a pensar em comprar todas as peças de mdf, pra montar uma decoração provençal como eu quero, pintar e montar tudo by myself. Mas fui percebendo que não teria tempo pra isso, principalmente no dia da festa, pois só o fato de ter que receber a família toda que mora fora, cuidar da Clara e preparar nós duas para festa já vai me consumir muito tempo e disposição. Então pronto: vou contratar uma empresa de decoração.

Comecei pelo tema, que me veio a cabeça há um bom tempo, não sei exatamente por que, mas não saiu mais: Corujas! Não é um tema muito comum, na época era menos ainda, mas já tenho visto muitas festinhas de criança com esta temática e acho uma graça!

A arte que servirá como base pra papelaria

Decidido o tema, o segundo passo foi escolher as cores que serviriam como base pro restante da decoração. Não queria cores gritantes demais neste primeiro aninho, então optei por Candy Colors, nos tons de rosa, amarelo e azul. Tudo suave e delicado (pelo menos é assim que eu espero que fique!).

A paleta de cores

Com isto em mente, veio o desafio maior até aqui: encontrar uma empresa de decoração que topasse (e pudesse) fazer a festa com este tema até então meio incomum. Outra vez, pensei em fazer as corujas de tecido eu mesma, até comprei uns materiais e me arrisquei nas agulhas, mas logo me dei conta de que sem talento e paciência uma máquina de costura, ficaria muito difícil.

Felizmente, nas minhas inúmeras pesquisas – perfis de empresas adicionados no Facebook – encontrei duas que já tinham o tema pronto. Eba! Conversei com duas pessoalmente e acabei escolhendo uma, a Casinha de Bonecas (além de ser mais em conta, a responsável me pareceu bem disposta a realizar todas as minhas ideias mirabolantes..rs). Ela disse que estava morrendo de vontade de fazer uma festa das corujas, já que as mamães ainda estavam com o pé atrás com este tema, então a festa da Clara será a primeira dela com as corujinhas - que eu já vi pessoalmente e estão ficando lindas.

Festa da Minnie montada pela Casinha de Bonecas. Só pra ter uma ideia do "estilo" da decoração

E assim é, mais ou menos, como eu estou planejando que fique :D


O terceiro desafio foi o lugar, e isso ainda está martelando um pouco na minha cabeça, mesmo já tendo reservado um. Fiz orçamentos com alguns buffets infantis, mas sem condições, é tudo muito caro, pelo menos pra mim no momento. Além do mais, não vou precisar de um arsenal de brinquedos, videogames, mesas de pebolim, etc, afinal de contas será uma festa infantil com, no máximo, DEZ crianças (infelizmente). 

Acho lindas as festas feitas ao ar livre como jardins, quintais, chácaras, etc, e acho que o tema da festa super combinaria com um lugar assim. Cheguei a ver preços de algumas chácaras para alugar, mas novamente esbarrei na questão “preço”. Os que estavam mais em conta, não atendiam minha necessidade (queria pelo menos uma varanda ou salão coberto para o caso de estar chovendo no dia), e os que pareciam perfeitos estavam caros demais.

Então tive que me contentar com um salão mesmo. Mas conseguimos um salão bem legal, com muitas janelas, bem arejado e iluminado, que já tem mesas e cadeiras e também um mini playground com piscina de bolinhas, cama elástica, pula pula inflável e uma monitora. Ainda sonho com uma festa ao ar livre, mas terá que ser numa próxima ocasião, eu acho. Infelizmente, não da pra ter tudo, né?

Decidido isso tudo, agora estou na fase de escolher o buffet e outros “detalhes” da festa. Também recebi inúmeros orçamentos, com os mais variados preços, mas já estou praticamente decidida quanto à empresa que cuidará dos salgados, docinhos e garçons. Faltará providenciar as bebidas, que esta empresa não oferece.

Quanto aos outros detalhes, essa é a parte em que “as mãe pira” de vez!!! A moda dos personalizados é de enlouquecer qualquer um. Ou não? São muitas opções, muitas possibilidades, muitas ideias e pouca grana sobrando. Hahaha Então sobre isso eu falo em outro post, até porque este já ficou grande demais.


PS: Estou aceitando sugestões, dicas e querendo saber como estão os preparativos das festinhas dazamigas que estão na mesma loucura situação que a mamãe aqui :)

Bjos

Mari

quinta-feira, 19 de julho de 2012

{Crescendo} 10 meses

6 comentários

Eu sei que toda mãe diz isso e eu mesma estarei sendo redundante, mas a Clara está uma COISA de gostosa, modéstia à parte. Os meses estão fazendo muito bem a ela..rs


Vamos às evoluções deste nono mês.

A Clara:

- Come bastante e qualquer coisa que a gente ofereça a ela.
- Tem os dedinhos mais ágeis e a visão mais apurada que eu já vi: é capaz de ver (pegar e colocar na boca logo em seguida) a MÍNIMA tranqueira que ela vê dando mole no chão ou em qualquer outro lugar.
- Se joga pra trás com toda rapidez e força que possui, principalmente quando está feliz e quer fazer uma “graça”. Se a gente não ficar esperto ela se espatifa de cabeça no chão.
- Finge que tá cansada (ou faz charme, ainda não entendi direito), deitando a cabecinha de lado, olhando pra gente e dando risada.
- Aprendeu a bater palminha e a gente acha a coisamaisfofadomundo. Agora bate palma pra tudo.
- Fica de pé sem apoio por alguns segundos e está cada vez mais “equilibrada”, já arrisca até umas palminhas em pé de vez em quando.
- Finge que tosse, finge que se engasga, finge que não sabe que eu sei que ela ta fingindo.
- Quando vê alguém comendo perto dela ou quando a colocamos no cadeirão, começa a fazer barulhinho de “nhami nhami” com a língua pra dizer que quer papar também.
- Tá com mania de ficar com a língua de fora.
- Continua trocando qualquer brinquedo por um controle remoto ou um celular.
- Continua dormindo a noite inteira e não acordou nenhuminha vez de madrugada no último mês. Gracias!
- Dança ao MENOR sinal de música. Pode ser um comercial na tv, um carro de som que passa na rua, um toque de celular, um assovio, um passarinho cantando na janela...ela dança agachada ou, se der tempo, levanta e fica sacudindo o corpinho pra baixo e pra cima.
- Definitivamente já sabe o que a palavra "não" significa”, mas continua ignorando quando lhe convém.


A mamãe:

- Descobre a cada dia que a cada dia é possível amar mais a pequena cria.
- Já começou a tomar providências práticas para o niver da filhota (conto mais sobre isso em outro post).
- Tá com a cabeça a mil por hora por conta do trabalho e desses benditos preparativos pra festa.
- Tá descobrindo que a filha é a maior força pra enfrentar os problemas, que surgiram com alguma força este mês.
- Quer fazer um curso fora da cidade, mas fica com o coração na mão só de pensar em ter que ficar longe da filha por mais de 24h.
- Tá sem tempo até pra escrever no blog, embora todo dia pense em um assunto supimpa pra tratar aqui. Continua tentando...
Bjos
Mari

terça-feira, 10 de julho de 2012

Surpresa Boa

1 comentários
Hoje, visitando meu blogues preferidos, me deparei com uma grata surpresa: uma texto meu publicado no Recanto das Mamães Blogueiras. Que alegria!

Quem é mãe e blogueira, sabe que aquele é um espaço bem especial, com muito conteúdo bacana e muitas fãs, como eu. Então, ter um texto "aceito" e publicado pela equipe do Recanto é um honra mesmo.

E merecia ser registrado aqui. Espero que seja apenas a primeira de outras participações..rs

Obrigada meninas do Recanto, adorei participar!

Bjos

Mari

sexta-feira, 6 de julho de 2012

1 ano do filhinho!

4 comentários

Imagem daqui

Faz vários dias que estou pensando e me perguntando quando o blog faria um ano. Jurava que tinha sido em meados de abril ou maio, já que eu descobri que estava grávida no final de janeiro e lembrava que tinha demorado um pouco pra criar este caderninho aqui. Mas aí sempre que estava no computador, esquecia-me de checar.

Eis que hoje, finalmente, eu lembrei e...adivinha? O aniversário é exatamente hoje!! Eeee!!

"Parabéns. Parabéns. Hoje é o seu dia que dia mais feliz!"

Há um ano eu colocava em prática um desejo que alimentei durante algumas semanas. Enfrentei uma dúvida grande: deveria ou não expor minha vida (e a da minha filha, por consequência) pra todo mundo ver? Sempre fui tímida, mas sempre adorei escrever – não por acaso escolhi o jornalismo. Aí pensei, pensei e pensei e cheguei à conclusão que o blog faria bem pra mim e que não tinha problema criar um, “afinal, quase ninguém ia ver mesmo”. A-ham!

De fato, durante muito tempo não divulguei este espaço pra ninguém. Nem mesmo os amigos mais próximos sabiam da existência dele. Era uma coisa muito mais pra mim do que pros outros. Além do mais, eu não atualizava com muita frequência e achava que o assunto tema do blog não seria tão interessante pra maioria dos meus amigos.

O tempo foi passando e eu fui descobrindo a maravilhosa blogosfera materna. A cada semana descobria – e ainda descubro – outros blogs super legais, sejam pelas informações úteis, pelo bom humor com que relatam o dia-a-dia com os filhos, pelas dicas e pelos sorteios, porque não dizer.  E assim acabei descobrindo que um blog sobre filhos é o novo pretinho básico: quase todo mundo tem.

Aos poucos fui perdendo a vergonha e, de uns meses pra cá, passei a colocar o link das postagens do blog no Facebook, nos vídeos do Youtube e, às vezes, nos comentários que deixo no blog dazamigas virtuais. Só aí as pessoas foram tomando conhecimento que este blog existia. Os comentários começaram a chegar – e estão se tornando mais frequentes – e eu estou me acostumando com esta nova forma de bate papo tão legal. Conheci pessoas muito bacanas, descobri que o afeto pode muito bem passar do virtual para o real e adoro saber das novidades das outras mamães da internet e seus filhotes. Meu sonho é reunir algumas delas um dia num encontro de carne e osso..rs Quem sabe?!

A verdade é que o Caderninho da Mamãe é como um filho, o primogênito, com o qual fui aprendendo a ser mãe, me adaptando, me conhecendo e aprendendo também (óh, que profundo!). Mas é. 

Já me peguei algumas vezes pensando se vale à pena ou não manter este cantinho, se devo restringí-lo aos meus amigos em vez de deixá-lo aberto pra quem quiser ver. Por enquanto, felizmente, nada me fez querer tornar o blog privado, muito menos desativá-lo. Mesmo quando não sobra tempo ou ânimo pra sentar e escrever. Uma horinha sempre acabo aqui falando das alegrias, descobertas, neuras e toda esta loucura que é a nossa vida.

Espero que um dia a Clara possa se sentar diante do computador, se divertir e, quem sabe, até se emocionar vendo isso tudo. (Filha, se você já estiver aí lendo, perdoa a mamãe pelos erros de digitação, pelos micos que por ventura eu narrar aqui e pela corujisse extrema que eu alimento por você, ok?)
Parabéns pra nós, porque você também faz parte desta história!

Beijos,
Mari

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Que filho você vai deixar pro mundo?

6 comentários

(Um post com alta probabilidade de ser um cuspe bem grande pro alto)



A gente vive se perguntando qual o mundo que queremos deixar para os nossos filhos. Mas já parou pra pensar no filho que você vai deixar para o mundo?

Minha filha tem apenas 9 meses e uns dias e já tá começando a colocar as manguinhas de fora. Basta dizer NÃO pra ela, que ela grita, resmunga, fica brava e não esconde de ninguém que detesta ser contrariada. O nome disso é birra? Pode ser, mas tá valendo, sinal que ela já sabe (pode não acatar sempre, mas sabe) que não pode fazer tudo, que há limites e que nós temos autoridade.

Aí você pensa: mas ela é só um bebê! É mesmo, por isso que às vezes fico me controlando pra não rir, não correr até ela e dar uma mordida na bochecha quando ela fica bravinha depois de receber um não. Mas eu acredito que, desde já, ela tem que aprender a respeitar os limites que nós achamos necessário impor a ela.

Como boa observadora que sou (ou tento ser), sinto arrepios quando vejo uma criança mal criada, no sentido literário da palavra mesmo. Porque criança mimada, que faz tudo o que quer e que derruba o mundo quando é impedida, pra mim é uma criança mal criada, mal educada pelos pais ou com algum transtorno psiquiátrico, sei lá.

Não que as crianças não possam ter um ataque de birra vez ou outra, sem que a mãe ou o pai, sem saber o que fazer pra contê-la, cedam às suas vontades. Isso pode ser uma solução muito prática em algumas ocasiões. Estou falando daquelas crianças que tem idade pra saber, em maior ou menor grau, o que é certo e o que não é, mas que por negligência dos pais, não se importam com nada além da sua própria vontade.

Pra mim, as crianças mal criadas de hoje, serão os jovens inconsequentes ou violentos de amanhã e os adultos idiotas e desprezíveis de depois de amanhã. Eu não quero criar um monstro! Não mesmo!

Por isso que não dá pra ser displicente, não dá pra fingir que não vê o seu filho desrespeitando os outros e nem dá pra deixar pra impor limites amanhã. Até porque acostumar seu filho desde pequeno a ser educado pode ser mais trabalhoso, mas é mais eficaz do que amarrá-lo ao pé da cama radicalizar quando ele tiver 15 anos. Vai ser muito mais tranquilo pra você e pra ele, provavelmente.

Tenho visto adolescentes e jovens com comportamentos cada vez mais preocupantes e, porque não dizer, assustadores. Eles gritam, ofendem, agridem verbal e fisicamente aos outros e ninguém parece saber o que fazer pra conter essa onde de violência.

Cenas assim sempre me chamaram a atenção, mas depois que eu me tornei mãe, elas me fazem pensar no seguinte: eu não posso deixar minha filha se tornar uma pessoa assim. A filha que eu quero deixar pro mundo é alguém que se solidariza com a dor do outro ao invés de tirar sarro dela, alguém que se preocupa com as pessoas ao seu redor, que é cortês, voluntária, que procura ser justa com os outros e com ela mesma, que sabe a diferença entre ambição e passar por cima de qualquer um pra conseguir o que quer. E muitas coisas mais.

E isso começa agora. Ou vai dizer que não?

*Daqui uns tempos eu conto como estou me saindo na missão de bem-educar-um-filho. E daqui uns 15 anos eu volto pra dizer se deu certo ou não. Espero que dê!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Caderninho da Mamãe Copyright 2008 All Rights Reserved Baby Blog Designed by Ipiet | All Image Presented by Tadpole's Notez